Seguro de vida: como funciona! O você precisa saber para garantir a tranquilidade da sua família!

Atualizado: Mar 30




O seguro de vida é uma das formas de realizar o planejamento sucessório. Se eu pudesse dar somente uma dica a todos que possuem interesse em realizar o planejamento sucessório, eu diria: faça um seguro de vida!

Muitos dizem que a única certeza que temos na vida é que um dia nós partiremos. Embora seja difícil pensar nessa situação, ela é um fato e tenho certeza de que, se você possui uma família, vai querer garantir que ela fique bem.

Quando construímos uma família, por menor que ela seja, nós queremos que todos fiquem bem e fazemos de tudo para alcançar isso. Durante a vida trabalhamos duro para garantir que nada lhes falte e que sejam felizes. Um pai e uma mãe criam seus filhos para que sejam felizes e os filhos ao crescerem querem manter o bem-estar dos pais. Fato é que sempre nos preocupamos com aqueles que amamos.

O seguro de vida também é uma forma de garantir o bem-estar da sua família e isso é uma demonstração de amor e carinho, sem dúvidas!

Agora vou explicar para vocês como funciona o seguro de vida e porque ele pode ser utilizado como uma forma de planejamento sucessório muito eficaz e que vai garantir a tranquilidade da sua família.


O que é o seguro de vida

O seguro de vida como uma forma de planejamento sucessório

O grande benefício do seguro de vida (não pagamento do imposto)



O que é o Seguro de Vida

O seguro de vida é um serviço que você consegue contratar para que, caso ocorra alguma situação complicada em sua vida, você ou sua família possa ter uma ajuda financeira para se recompor.

Existem várias formas de contratar um seguro de vida, mas a mais comum é em bancos.

Muito enxergam o seguro de vida como uma forma de garantir o sustento econômico da família após o falecimento da pessoa que contratou esse seguro. Isso não é um mito! Mas existe outra grande funcionalidade, que é o pagamento dos trâmites de inventários e impostos.

Como os herdeiros vão pagar custos e impostos altos sobre a herança que receberam se não possuem dinheiro?

Porque uma coisa é fato: o inventário vai ter de ser feito uma hora ou outra em razão das burocracias!


O seguro de vida como forma de planejamento sucessório

Todos sabem que os custos com inventário não são os mais baratos. Além das custas judicias ou do cartório, que a depender da situação tem como economizar escolhendo o melhor meio de realizar o inventário, existe um pagamento do qual não tem como fugir: IMPOSTO! (ITCMD).

Diferente do dinheiro que encontra-se em contas-correntes ou em contas-poupança, o dinheiro do seguro de vida é liberado logo após o falecimento do dono do seguro aos beneficiários indicados no contrato de seguro de vida.

Portanto, não é necessário fazer um inventário para resgatar esse valor!

Vou deixar aqui um vídeo que indica como liberar o seguro de vida.

Aí que entra os benefícios do seguro de vida como uma forma de planejamento sucessório! Sabendo que todo o trâmite possui um custo e que o valor do seguro de vida pode ser liberado logo após o falecimento, esse dinheiro pode ser utilizado para garantir que seus herdeiros tenham o dinheiro suficiente para custearem todo o inventário, inclusive para pagamento de imposto.

A falta de dinheiro pode impedir a realização de inventário e isso impede que os seus herdeiros possam usufruir verdadeiramente dos bens, pois eles ainda não serão proprietários dos bens e poderão encontrar barreiras futuramente. Além disso, se houver dinheiro ou investimentos em nome da pessoa que faleceu, eles somente serão liberados após a realização do inventário.



O grande benefício do seguro de vida (não pagamento de imposto)

O imposto devido quando uma pessoa falece e seus bens são transferidos aos seus herdeiros é chamado de Imposto de Transmissão Causa MortisITCMD. Ele varia de acordo com cada estado do Brasil e pode chegar a cobrar até 8% sobre o valor total dos bens da herança.

Se o imóvel que a pessoa que faleceu era dono custar R$ 100.000,00 (o que não é difícil hoje em dia) e o imposto for 8% sobre isso, o imposto gerado será de R$ 8.000,00. Não podemos dizer que é “baratinho”, não é mesmo?

Porém, quando estamos falando de seguro de vida, não incide o ITCMD. Ou seja, os herdeiros recebem o valor inteiramente logo após o falecimento sem precisarem pagar imposto sobre o que receberem.

Isso significa que o seguro de vida irá cumprir com o seu propósito: que é garantir que a família esteja amparada, sem precisar de grandes burocracias.


Essa é uma das formas de realizar o Planejamento Sucessório, mas você pode conferir um Guia Completo sobre o assunto clicando aqui!


Caso você tenha alguma dúvida, não hesite em me mandar um e-mail para ruthsemartins@gmail.com


Nos acompanhem em nosso Instagram, onde nós divulgamos conteúdos diários sobre Família e Sucessões: @fernanda.ruths e @leticiacs.martins.

7 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo