5 Fatos que os advogados não te contam sobre o Divórcio Amigável no Paraná

Atualizado: 23 de Set de 2021



como funciona divórcio amigável no Paraná
Aqui, eu coloco todas as cartas na mesa!

A falta de informação impede que as pessoas tomem as melhores decisões para si e é por isso que hoje eu vou te dizer o que os advogados não te contam sobre o divórcio amigável no Paraná (e em qualquer outro estado também!).

Talvez você esteja precisando dar entrada no teu divórcio e esteja com a cabeça cheia de dúvida em relação ao tempo e ao dinheiro a ser gasto, por exemplo. Mas depois que ler esse post, você vai conseguir ter uma visão mais clara sobre os principais pontos do divórcio consensual.

Para facilitar a tua leitura, preparei esse sumário onde você pode ir direto ao ponto que seja do teu interesse:


Fato 1: O casal não precisa estar de acordo com tudo desde o início

a) casal que já possui tudo resolvido

b) casal que ainda não conversou sobre os termos do divórcio


Fato 2: Divórcio amigável é mais barato


Fato 3: Existem várias formas para se chegar a um bom acordo


Fato 4: Cada um pode ter o seu advogado para fazer o divórcio amigável


Fato 5: Você pode fazer todo o divórcio pela internet e sem sair de casa





Fato 1: O casal não precisa estar de acordo com tudo desde o início


Talvez o teu casamento tenha acabado e foi cada um para um lado sem manter contato. Isso aconteceu com você?

Essa separação de corpos, ou separação de fato, sem manter o contato depois do término é o que mais acontece e talvez você pense que isso pode ser um impeditivo para fazer o divórcio amigável.

Mas não é!

O divórcio é uma burocracia que existe para que pessoas possam romper o casamento perante a Lei. E a forma mais simples e rápida de se fazer isso é através de um divórcio consensual.

Se ambos concordam em se divorciar é o suficiente para fazer esse processo burocrático do divórcio de forma consensual, mesmo que depois do término não tenham mantido contato.

“E se eu e meu ex não estamos de acordo com a divisão dos bens?”

Isso pode ser um desafio a mais para o divórcio consensual, mas não impede de se chegar a um bom acordo. Existem técnicas consensuais que permitem que se chegue a um consenso no divórcio.

Existe o casal que quer o divórcio e já possui tudo resolvido e tem o casal que ainda nem conversou sobre os termos do divórcio ou que discorda de alguns pontos.

Vou te explicar como procedemos em cada uma dessas situações aqui no escritório!

a) Casal que já possui tudo resolvido

Existem casais que entram em contato através do nosso atendimento online relatando que já está tudo decidido: divisão dos bens, mudança de nome, bem como guarda, visitas e pensão dos filhos (quando tem).

Nesses casos, nós avaliamos a intenção deles para informar se gerará algum ônus financeiro a divisão dos bens que eles pretendem e também explicar que existem outras alternativas.

É a nossa função, enquanto advogadas, informar como funciona, na prática, cada tipo de acordo para que nossos clientes possam escolher aquele acordo que faça mais sentido para eles.

Essa etapa de análise do acordo pelas advogadas aqui do escritório é feita de modo que se otimize o tempo dos nossos clientes.

As sugestões são encaminhadas em um material explicativo e que podem ser explicadas por mensagens de áudio ou por videochamadas.

Após o casal escolher todos os termos do divórcio com o auxílio de uma advogada, é elaborado um acordo que todos assinam e segue direto para o Cartório/Tabelionato de Notas (inclusive de forma online) ou para um juiz (quando existem menores de idade ou incapazes).

Tudo acontece em pouco tempo e, por isso, esse procedimento onde todos já estão de acordo se torna mais barato.

Para conversar com o escritório e ter acesso a mais detalhes sobre essa forma de divórcio, basta mandar um “oi” pra gente lá no WhatsApp.


b) Casal que ainda não conversou sobre os termos do divórcio

Se o teu caso é daqueles que foi cada um para um lado e ainda não conversaram sobre formalizar o divórcio, ou então se vocês possuem alguma divergência em relação a divisão dos bens, não se preocupe, porque ainda sim é possível fazer tudo de forma consensual.

O que vai ser preciso para fazer um divórcio consensual nesses casos é que os dois estejam dispostos a chegar a um bom acordo!

Nesse momento, eu preciso te explicar porque o divórcio consensual é melhor:

  • é mais barato

  • é mais rápido

  • é menos desgastante emocionalmente

  • 90% dos divórcio que iniciam no litigioso terminam em acordo

Em um divórcio consensual você gastará metade (ou até menos) do valor de um divórcio litigioso e vai ser 3x mais rápido.

Outra grande vantagem é que você não irá se desgastar emocionalmente.

Divórcio litigiosos passam por fases de provas, audiências e tudo isso é muito estressante. É preferível ficar 1 mês conversando sobre um acordo do que 3 meses brigando na justiça para no final fazer um acordo!

Já analisei diversos divórcio e posso garantir que a maioria daqueles que iniciam de forma litigiosa acabam se resolvendo em um acordo lá no final.

Mas lá no final, já foi gasto dinheiro, tempo e já teve muito desgaste emocional.

Sabe o porquê de ter muitos acordos em processo que iniciam de forma litigiosa? Porque é função do juiz incentivar que as partes façam acordo!

Sabendo de tudo isso, não te parece mais vantajoso em todos os âmbitos fazer o divórcio de forma consensual?!

Aqui no escritório, nós realizamos a intermediação entre o casal para ajustar os termos do divórcio de modo que fique bom e justo para ambos!

Às vezes, é necessário algumas reuniões para fecharmos o acordo. Mas isso não é um problema.

As reuniões podem ser feitas por videochamadas ou através de mensagens, pois nos adaptamos da forma como for melhor para os nossos clientes.

Nossos atendimentos são 100% online, porque prezamos pela comodidade dos nossos clientes e pela facilidade de comunicação.



Fato 2: Divórcio amigável é mais barato

Já dei uma palhinha no tópico anterior sobre esse assunto, mas agora vou te explicar o porquê desse tipo de divórcio ser mais barato.

Para iniciar, preciso te contar como funciona os custos do divórcio.

O divórcio tem alguns custos que são inerentes ao processo, seja ele judicial ou feito direito em cartório.

O cartório cobra um valor pela escritura pública, que pode ser um valor fixo (quando não há bens para serem divididos) ou um valor proporcional aos bens que estão sendo partilhados ali.

Existe um teto de valor para essas escrituras públicas. No Paraná, esse teto, em 2021, atinge o valor aproximado de R$ 1.000,00.